Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Paulo Fernando Motta Oliveira

email: 
pmotta@usp.br
Foto: 
Resumo: 

Paulo Motta Oliveira concluiu o doutorado em TEORIA E HISTÓRIA LITERÁRIA pela UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS em 1995, realizou dois pós-doutorados junto à UNIVERSIDADE DE LISBOA, de 2004 a 2005 e em 2008, e um junto à Université de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines. Defendeu a livre-docência em LITERATURA PORTUGUESA na Universidade de São Paulo em 2006. Foi professor convidado da UNIVERSITÉ LYON 2 em 2006. Foi Presidente da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa no biênio 2005-2007. Foi Bolsista do do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico de 1999 a 2011. Atualmente é Professor Associado da Universidade de São Paulo. Coordena o GEO (Grupo de Estudos Oitocentistas). É, ainda, Diretor do CELP/USP ( Centro de Estudos das Literaturas e Culturas de Língua Portuguesa) e membro da Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da USP. Orientou mais de 30 trabalhos de iniciação científica, 14 dissertações de mestrado e 5 teses de doutorado, além de ter supervisionado estágio pós-doutoral. Pesquisa, principalmente, a literatura portuguesa do século XIX e do início do XX, bem como as relações entre esta e outras literaturas do período, em especial as literaturas de língua portuguesa e a literatura francesa. Ultimamente tem centrado sua pesquisa na ascensão do romance nos países de língua portuguesa. Em seu currículo Lattes os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Literatura Portuguesa, Literatura e Historia, Historiografia Literária, Camilo Castelo Branco, Literatura Oitocentista, Romance, Eça de Queiros, Literatura Brasileira,, Portugal, Fernando Pessoa.

Projeto: 

Revisão crítica da literatura oitocentista: novos paradigmas

O principal objetivo da pesquisa coletiva realizada pelo Grupo de Estudos Oitocentistas - que dá prosseguimento a um trabalho já finalizado pelo grupo e que teve como principal resultado o lançamento do livro "Figurações do Oitocentos", que organizei - é de continuar a contribuir para o desenvolvimento dos estudos sobre o século XIX, buscando em especial, através de diferentes estratégias, promover uma revisão do cânone oitocentista, propondo uma nova luz sobre o período em conjunto, ou sobre autores e obras específicas, ou ainda sobre a forma como esses autores e obras são estudados e apresentados em manuais e aulas do Ensino Médio à Pós-Graduação. Esperamos, também, continuar a reforçar a integração entre os pesquisadores envolvidos, possibilitando a criação de um núcleo de estudos que poderá - graças à excelência do espaço que ocupa, à seriedade da pesquisa desenvolvida, e aos contatos que já possui e aos que pretende vir a estabelecer - transformar-se em um grupo de importância nas pesquisas sobre a literatura oitocentista no cenário nacional. Pretendemos ainda continuar e intensificar o processo de formação de quadros aptos a trabalhar com as questões relativas ao Oitocentos, ou com outras correlatas, através de orientações de iniciação científica, mestrado e doutorado, bem como da supervisão de estágios de pós-doutorado, práticas já desenvolvidas por alguns membros do grupo, e que poderão agora ser ampliadas.

Camilo Castelo Branco e a ascensão do romance:um diálogo europeu

 O principal objetivo deste projeto é o de analisar a obra de Camilo Castelo Branco dentro de uma perspectiva européia: verificar como um escritor de um país secundário dentro do mercado europeu da narrativa constrói o seu romance a partir da relação tensa que mantém com os romances europeus particularmente os franceses e com um público habituado a ler estes romances. Para tanto, partindo-se de alguns autores que trataram da questão da ascensão do romance, será pesquisada a bibliografia mais contemporânea sobre o assunto, em especial aquela que tente refletir sobre a ascensão do gênero em países não centrais. Será ainda estudada a presença explícita de referências a romances europeus e a seus autores na produção de Camilo Castelo Branco, com o objetivo de começar a traçar um mapa das interlocuções entre a sua produção e a de outros escritores estrangeiros então lidos em Portugal.

Áreas: 
Estudos Comparados de Literaturas em Língua Portuguesa
Linha de Pesquisa: 

1. Literatura, História e Memória Cultural 2. Poéticas da Modernidade 3. Literatura e história nos países de língua portuguesa 4. Polifonia e diacronia na prosa, na poesia e no teatro de expressão portuguesa 5. Textos, Contextos e Intertextos 6. Literatura e história nos países de língua portuguesa