Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Márcia Santos Duarte de Oliveira

email: 
marcia.oliveira@usp.br
Foto: 
Resumo: 

Márcia Santos Duarte de Oliveira possui: mestrado em Linguística pela Universidade de Brasília (1995); doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo (2004); pós-doutorado na Universidade de Coimbra. É professora doutora da Universidade de São Paulo atuando nos seguintes temas: teoria da gramática; morfossintaxe do português falado no Brasil; português na África; crioulos de base portuguesa na África; morfossintaxe de línguas africanas (com ênfase na língua ibíbio). É autora, entre outros, de (1) "Perguntas de constituinte em ibíbio e a teoria de tipo oracional" (LINCOM-Europa, 2005) e (2) "Análise sintática do português falado no Brasil - volumes 1/2" (Editora Multifoco, 2010). Atuou como pesquisadora na área ibíbio - Nigéria/ África. Coordenou um dos projetos sobre comunidades afro-brasileiras (na área do Pará) que integra o Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL). Lidera o Grupo de Pesquisa "Estudos do português urbano e rural da região norte do Brasil". 

Projeto: 

Estudos do português urbano e rural da região norte do Brasil

O Brasil abriga o maior número de falantes do português no mundo e estudos lingüísticos vêm apontando mudanças sistemáticas no português brasileiro PB que distanciam esta língua de outras línguas românicas, incluindo o português de Portugal PE. Análises e hipóteses sobre o PB precisam levar em conta: (i) processos importantes que o Brasil atravessou durante três séculos (alguns ainda em curso) como o crescimento demográfico do país, a urbanização e a ocupação do interior do país; (ii) a complexidade lingüística brasileira marcada em seus mais de 500 anos de história pela presença das línguas indígenas, pelas línguas faladas pelos escravos africanos e as línguas européias e asiáticas faladas pelos imigrantes. No âmbito dessas discussões, este grupo visa a reunir pesquisadores envolvidos em estudos sobre o português culto e não culto; rural e urbano da região norte do Brasil.

Estudos Crioulos de Base Portuguesa e Português na África

A expansão ultramarina portuguesa acarretou a difusão da língua de Portugal pelo mundo. Porém, o impacto lingüístico português não se limitou a isso. Em condições históricas muito específicas (quase sempre associadas ao flagelo da escravidão ou ao modelo de produção tipo 'plantation' ou às fortalezas) surgiram línguas que vieram a ser conhecidas como crioulas de base portuguesa. Essas línguas crioulas possuem o léxico majoritariamente português, porém seus aspectos fonológicos e morfossintáticos têm atestadas influências areais (africanas ou asiáticas). Entender os sistemas lingüísticos das línguas crioulas nos permite lançar novas luzes para reavaliarmos uma série de fenômenos lingüísticos presentes no português do Brasil e ausentes no português europeu. Da mesma forma, a pesquisa sobre o português falado na África - com especial destaque para o português angolano e moçambicano - atrela-se à investigação das línguas crioulas, auxiliando na investigação da participação das línguas africanas na constituição do português brasileiro.

Áreas: 
Filologia e Língua Portuguesa
Linha de Pesquisa: 

1. Morfossintaxe do Português na África 2. Morfossintaxe de Línguas Africanas 3. Morfossintaxe do Português do Brasil 4. Estudos de morfossintaxe dentro de quadro formal (gramática gerativa)