Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Maria Inês Batista Campos

email: 
maricamp@usp.br
Foto: 
Resumo: 

Pesquisadora e professora doutora da Universidade de São Paulo (2008) no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Desenvolveu o projeto de Pós-Doutorado "Identidade, leitura e visualidade em livros didáticos" (2007-2009) em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem na PUC-SP. Licenciatura e Bacherado em Letras, Português-Alemão (1975); Bacheralado e Licenciatura em Filosofia (1980); Mestrado em Língua Portuguesa (1996), bolsista CAPES; Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (2002),bolsista CNPq; Estágio no exterior (bolsa sanduíche) - Université de Aix-Marseille I (2001), bolsista CAPES. Pesquisadora colaboradora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo no Grupo de Pesquisa do CNPq "Linguagem, Identidade e Memória". Experiência na área de Teoria e Análise Linguística e de Língua Portuguesa, com ênfase nos Estudos da Linguagem, atuando principalmente com os temas: teoria dialógica do discurso, gênero do discurso, discurso literário, linguagem verbo-visual, leitura e produção de materiais didáticos de língua portuguesa.

Projeto: 

Letramentos, ensino, memória: a análise dialógica do discurso

Este projeto tem como tema principal o estudo das práticas de produção escrita e o ensino dos estudos gramaticais presentes nos materiais didáticos de língua portuguesa do ensino fundamental II e do ensino médio. Com base na noção de arquitetônica de Bakhtin e o Círculo, e possíveis articulações com os múltiplos letramentos em materiais didáticos, este projeto pretende: a) Investigar as base filosóficas e epistemológicas do conceito bakhtiniano de arquitetônica. Com frequência, muitos que estudam esse conceito o relacionam a conteúdo. Essa questão foi abordada por Bakhtin em ensaios filosóficos (1919; 1920-1924; 1920-1923). No ensaio O problema do conteúdo, do material e da forma na criação literária (1924), ele procura estabelecer a diferença entre forma composicional do gênero e formas arquitetônicas, atribuindo a primeira o caráter de estabilidade, teleológico, utilitário, embora inquieto disponível para realizar a tarefa arquitetônica. Já, as formas arquitetônicas são formas de valores morais e físicos do homem estético, formas da natureza enquanto seu ambiente, formas do acontecimento no seu aspecto de vida particular, social, histórica, etc. (1998: 25). Essa distinção entre forma composicional e forma arquitetônica faz parte da ideia de que esse último conceito nasce de um pensamento que tem o ser humano como centro de valor, porque há um homem que fala, que se interroga e que procura estabelecer relações interativas, formulando perguntas e respostas diante dos acontecimentos da vida; b) Identificar, analisar e discutir as coleções didáticas aprovadas no Programa Nacional do Livro Didático de língua portuguesa (2012/2014), buscando identificar semelhanças e diferenças entre as propostas de produção escrita e as de estudos de gramática e fazer o levantamento das categorias de análise, procurando reconstituir o projeto arquitetônico das coleções no eixo diacrônico e sincrônico; c) Desenvolver subsídios para materiais didáticos dirigidos especificamente ao Ensino Médio, especialmente para produção escrita, de diferentes práticas de análise dos materiais didáticos de língua portuguesa, com a finalidade de proporcionar ao professor uma formação como leitor investigador e crítico. Neste projeto, são esperados os seguintes resultados: teses e dissertações concluídas pelos orientandos; participação em eventos científicos com apresentação dos resultados parciais da pesquisa; publicação de capítulos de livros e livros, de artigos em periódicos. O projeto está articulado a dois Grupos de Pesquisa: GEDUSP/USP/CNPq e Linguagem, Identidade e Memória/ PUC-SP/CNPq, com participação em Seminários de Pesquisa, Congressos Internacionais e Jornadas de estudo.

Língua Portuguesa no ensino básico e superior: dos gêneros textuais/discursivos do livro didático, acadêmicos, jurídicos e políticos às estratégias de textualidade da oralidade e da escrita.

Os resultados de diferentes avaliações a que são submetidos os alunos do ensino básico (Prova Brasil/SAEB, IDEB e PISA) apontam o frágil desempenho obtido por eles nas várias regiões do país. Diante dessa realidade, Língua Portuguesa no ensino básico e superior: dos gêneros textuais/ discursivos do livro didático, acadêmicos, jurídicos e políticos às estratégias de textualidade da oralidade e da escrita tem como objetivo principal fomentar o desenvolvimento de projetos de ensino e de pesquisa, com a finalidade de dar prioridade a Língua Portuguesa na educação básica e superior, integrando uma rede de professores pesquisadores, doutorandos, mestrandos e alunos de IC das três equipes envolvidas, contribuindo, assim, para o equilíbrio regional da pósgraduação (Universidade de São Paulo/SP, proponente / Universidade Federal do Rio Grande do Norte/RN, Associada I / Universidade do Vale do Rio dos Sinos/RS, Associada II). Assim sendo, apoiará a realização de missões regionais e nacionais, estágios sanduíches, Pós-Doc e a participação em eventos nacionais e internacionais (no Brasil e no exterior). Para este projeto, foram estabelecidas sete metas: a) desenvolver projetos de pesquisa em parceria em torno dos gêneros textuais/discursivos escolhidos para livros didáticos de Língua Portuguesa adotados em escolas públicas, focalizando as atividades de interpretação e de exploração de questões linguísticas; b) viabilizar a realização de projetos de pesquisa que tenham como dados gêneros discursivos / textuais coletados nas três IES que integram a proposta, em periódicos e livros da área; c) inovar no que concerne ao estudo de gêneros discursivos / textuais do domínio jurídico no Brasil, visando a uma melhor compreensão do discurso jurídico, a partir de uma abordagem discursivo-textual, o que viabilizará sua democratização e transparência; d) promover o desenvolvimento de projetos de pesquisa que analisem diferentes gêneros discursivos / textuais do domínio político, descrevendo estruturas linguísticas com vistas à análise e interpretação do ato de argumentar, dentro de uma dimensão social e discursivo-textual; e) desenvolver projetos de pesquisa que viabilizem a elaboração de sequências didáticas com vistas a uma atuação na formação de professores de língua portuguesa do ensino fundamental e médio; f) fomentar as condições necessárias para publicações conjuntas, disseminando a produção científica das três equipes; g) estimular a mobilidade dos professores e alunos envolvidos, por meio da realização de missões acadêmicas, divulgando, discutindo e ampliando os resultados propiciados pelas diferentes etapas da pesquisa. A equipe é formada por três coordenadoras, dez professores doutores e oitenta e sete alunos entre graduandos e pós-graduandos. Este projeto, com todas as suas atividades promovendo a interação científico-acadêmica entre os participantes, pretende como resultado, contribuir para uma melhoria na formação de toda a equipe envolvida por meio de um intenso trabalho de pesquisa no ensino de Língua Portuguesa e para isso estão previstas a) realização de 4 estágios pós-doutorais; b) inserção de 36 jovens na Iniciação Científica; c) realização de 24 missões de estudo mestrado sanduíche; d) realização de 24 missões de estudo doutorado sanduíche; e) realização de 40 missões de missões de docência e pesquisa obrigatórias; e) 04 missões das coordenadoras; f) participação em eventos acadêmicos científicos no Brasil e no exterior..

Áreas: 
Filologia e Língua Portuguesa
Linha de Pesquisa: 

1. Análise dialógica do discurso