Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

II COLÓQUIO “AUTORES DO RENASCIMENTO”

II COLÓQUIO “AUTORES DO RENASCIMENTO”
De 19 a 21 de agosto de 2013

Promovido pelo grupo de pesquisa “República das Letras – Estudos da Literatura Renascentista em Latim”

PARTICIPANTES BRASILEIROS

(COM RESUMOS DAS APRESENTAÇÕES)

Em ordem alfabética

Bianca Fanelli Morganti (Unifesp)

Professora Adjunta de Língua e Literatura Latina do curso de Letras da Universidade Federal de São Paulo, tem se dedicado ao estudo e à tradução da obra latina de Petrarca e, particularmente, à reelaboração petrarquista de tópicas e modelos tomados da produção letrada da Roma antiga. Traduziu as Invective contra medicum de Petrarca e prepara, atualmente, a tradução para o português da obra De sui ipsius et multorum ignorantia, do mesmo autor.
http://lattes.cnpq.br/0221956310736270
O DE IGNORANTIA DE PETRARCA E A ETERNIDADE DO MUNDO
Cerca de cinco anos antes de sua morte, ocorrida em 1373, Francesco Petrarca escreveu uma apologia de sua própria ignorância, em resposta a um traiçoeiro ataque que teria sofrido de quatro amigos. Intitulada De sui ipsius et multorum ignorantia, a obra é considerada por alguns estudiosos como a mais filosófica das produções petrarquistas e também como aquela que, de modo mais completo e eficaz, apresentaria as coordenadas fundamentais do seu pensamento. Esta conferência pretende abordar o motivo alegado por Petrarca para a redação da obra e a importância do debate teológico sobre a eternidade do mundo na exposição da sua argumentação.

Elaine Cristine Sartorelli (USP)

Professora da área de Língua e Literatura Latina do curso de Letras da Universidade de São Paulo, doutora em Letras Clássicas pela mesma universidade, especialista em Retórica e Renascimento, é líder do grupo de pesquisa “República das Letras – Estudos da Literatura Renascentista em Latim” e presidente da Sociedade Brasileira de Retórica.
http://lattes.cnpq.br/0919642492976921
O ELOGIO DA LOUCURA, UMA DECLAMATIO
Esta conferência tem por objetivo apontar e comentar os traços do gênero declamatio tal como preceituado e praticado pelos autores renascentistas, e em especial por Erasmo de Rotterdam, notadamente em seu O Elogio da Loucura, de 1509.
APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA VIEIRA, DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RETÓRICA
CONVITE PARA O CONGRESSO BRASILEIRO DE RETÓRICA (2014)
Além da conferência, a Profa. Dra. Elaine Sartorelli apresentará, em horários alternativos, a Plataforma Vieira, organizada pela SBR a fim de reunir os especialistas brasileiros de retórica, bem como convidará os participantes do Colóquio para o Congresso Brasileiro de Retórica, a ser realizado na cidade de São Paulo, em 2014, durante o qual serão desenvolvidas as atividades do nosso 3º Colóquio.

Fabrina Magalhães Pinto (UFF)

Professora adjunta do curso de História da Universidade Federal Fluminense (UFF/Campos dos Goytacazes), doutora em História e pós-doutoranda em Filosofia pela PUC-RJ, coordena o grupo de pesquisa Retórica e Política no Humanismo Renascentista.
http://lattes.cnpq.br/0342630078480911
A REVOLUÇÃO PEDAGÓGICA DE ERASMO DE ROTTERDAM: UMA ANÁLISE DO DE DUPLICI COPIA RERUM AC VERBORUM (1512)
Esta conferência pretende analisar o De duplici copia rerum ac verborum, publicado em 1512, pelo humanista Erasmo de Rotterdam. Embora o equilíbrio entre retórica e filosofia, postulado por Cícero em seu De oratore (55 a.C), seja uma referência frequente nesta obra, a tese aqui defendida é a de que seria de Quintiliano a influência fundamental: posto que na Institutio oratoria ele atribui maior importância à elocutio que à inventio.

Fernando Gorab Leme (USP)

Graduando do curso de Letras, habilitação em Latim, desenvolve a pesquisa “Retórica e Educação no The Garden of Eloquence: Renascimento e Reforma”, sob orientação da Profa. Dra. Elaine Sartorelli. Além disso, leciona latim para crianças no projeto Minimus, coordenado pela Profa. Dra. Paula Corrêa.
http://lattes.cnpq.br/0462041610175234
EDUCAÇÃO RETÓRICA ERASMIANA
Esta comunicação visa explorar o programa didático erasmiano para mais bem perceber de quais modos o autor consegue reunir os discursos clássico e o cristão em uma época de grandes atribulações religiosas para, então, harmonizá-los e trazer à tona uma educação que dê conta de todas as matérias liberais.
Lavinia Silvares (Unifesp)
Professora adjunta de Literatura Inglesa do curso de Letras da Universidade Federal de São Paulo, doutora em Literatura Inglesa pela USP, com pós-doutorado sobre a poesia metafísica inglesa pela mesma universidade, coordena o grupo de pesquisa Retórica e Poética Antigas e Modernas. Tem se dedicado à pesquisa sobre poesia inglesa dos séculos XVI e XVII, com ênfase em John Donne, George Chapman, William Shakespeare e nos estudos de retórica.
http://lattes.cnpq.br/1636487120553467
“OS SÁBIOS POETAS DA ANTIGUIDADE”: FÁBULA E POESIA NAS MYTHOLOGIAE (1567), DE NATALE CONTI
O humanista milanês Natale Conti (1520-c.1582) publicou, em Veneza, em 1567, um extenso compêndio de mitos antigos – as Mythologiae, siue Explicationum Fabularum Libri Decem. Nele, o autor faz uma seleção de referências às fábulas e aos personagens greco-latinos, citando diversos autores antigos e traduzindo textos poéticos e em prosa do grego para o latim. Além de servir de fonte para poetas, pintores e escultores ao longo do século XVI e XVII, a obra de Conti é também prescritiva, pois associa lugares inventivos e elocutivos das fábulas a determinados tipos de estilo, dando exemplos tirados de poetas e outras autoridades antigas. Esta conferência pretende mostrar os usos que os poetas do século XVI fizeram da obra de Conti e o papel que exerceu na amplificação dos estilos poéticos correntes na época, bem como a relação entre a preceptiva exposta nas Mythologiae e as teorias sobre os estilos presentes nas obras desses dois oradores e professores de retórica.

Márcio Luiz Moitinha Ribeiro (UERJ)

Professor adjunto da área de Língua e Literatura Latina do curso de Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, doutor e pós-doutorando em Letras Clássicas pela USP, com formação e especialização em português, latim e grego, dedica-se à pesquisa da poesia no Renascimento.
http://lattes.cnpq.br/0959356336664933
A PRIMEIRA SILUAE DE HENRIQUE CAIADO E SUAS CARACTERÍSTICAS COMO GÊNERO POÉTICO
O poeta português renascentista Henrique Caiado escreveu três obras poéticas: as Éclogas, os Epigramas e as Silvas. A derradeira subdivide-se em três partes, foi escrita em 1496 e, até o momento, nunca foi traduzida na íntegra para o vernáculo ou para qualquer língua moderna. Esta conferência pretende não só focalizar as características do gênero Silua, tão parcamente retratado nos meios acadêmicos, como também apresentar a tradução inédita para a língua portuguesa da primeira Silua do poeta supracitado, a partir da qual serão tecidos alguns comentários estilísticos, linguísticos e literários desta obra, estabelecendo, outrossim, uma reflexão sobre a relevância que o poeta dá na escolha deste novo gênero para elaboração de sua poíesis e fazendo uma ponte das características do gênero epigramático com as do gênero Silua.

Martha F. Maldonado Baena da Silva (Unip)

Jornalista, latinista e professora do curso de Letras da Universidade Paulista, mestre em Literatura Portuguesa e doutora em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo, é especialista em Comédia Clássica e Teatro Renascentista.
http://lattes.cnpq.br/9328293763702137
APROXIMAÇÕES NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DA ARS IMITANDI NA COMPOSIÇÃO DAS COMÉDIAS DE LUDOVICO ARIOSTO E DE SÁ DE MIRANDA
O processo de composição das comédias do poeta português Sá de Miranda (1487-1558) segue de perto o empregado pelo italiano Ludovico
Ariosto (1474-1533), primeiro poeta da Idade Moderna a usar a fôrma clássica, como a utilizada pelos comediógrafos latinos Plauto e Terêncio, na composição de textos inéditos – e inovadores – no século XVI. Em que medida a apreensão do processo de apropriação da técnica denominada pelos antigos romanos de imitatio chega a ser mais importante para o poeta renascentista do que o próprio processo de apropriação de textos consagrados de autores precedentes e as aproximações nesses processos entre os dois autores são objeto desta conferência.
LANÇAMENTO DO LIVRO COMÉDIA DOS ESTRANGEIROS
A Profa. Dra. Martha F. Maldonado Baena da Silva, após sua conferência, fará o lançamento do livro Comédia dos Estrangeiros. Ela é a responsável pela introdução, edição e anotação da obra, bem como pela tradução dos trechos em latim. No mesmo horário será feito o lançamento de outros livros, produzidos por membros do grupo de pesquisa, com a previsão da publicação de duas obras traduzidas pela Profa. Dra. Elaine Cristine Sartorelli.
Ricardo da Cunha Lima (USP)
Professor da área de Língua e Literatura Latina do curso de Letras da Universidade de São Paulo, doutor em Letras Clássicas pela mesma universidade, com estágio na Universidade de Coimbra, especialista em Poesia do Renascimento, é líder do grupo de pesquisa “República das Letras – Estudos da Literatura Renascentista em Latim”.
http://lattes.cnpq.br/9141517494456286
APRESENTAÇÃO DO GRUPO DE TRABALHO DE EPIGRAMAS LATINOS DA RENASCENÇA FRANCESA
Esta atividade visa apresentar um grupo de trabalho formado por um pesquisador orientador e dois estudantes da Universidade de São Paulo que se reuniram para estudar, editar, traduzir e analisar epigramas selecionados, escritos em latim, no período do Renascimento francês, começando pela obra epigramática do humanista Jean Visagier.
Também participam desta atividade os estudantes Fernando Januário Pimenta e Silvia Helena Campanholo, da USP.
http://lattes.cnpq.br/5842491769708130
http://lattes.cnpq.br/9945072060832287