Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Vanessa Martins do Monte

email: 
vmmonte@usp.br
Foto: 
Resumo: 

Possui mestrado e doutorado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2007 e 2013), bacharelado e licenciatura plena em Letras - Português pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é docente e pesquisadora, em regime de dedicação exclusiva, da Faculdade de Letras da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Tem experiência na área de Língua Portuguesa, com ênfase em Filologia e na História da Língua Portuguesa, atuando principalmente nos seguintes temas: filologia, história da língua portuguesa, formas de tratamento, manuscritos e português brasileiro.

Projeto: 

1. ETeP - Edição de Textos em Português

Descrição: Linha de Pesquisa: Filologia do Português - estudo e edição de documentos. Nesta linha são contempladas as pesquisas em Filologia. Investiga-se o texto escrito, literário e não-literário, a partir de diferentes campos: Crítica Textual, Paleografia, Codicologia, Diplomática e Bibliografia Material. Procura-se descrever, identificar e editar o texto de forma a que seja base fidedigna para estudos filológicos e para a constituição de corpora em língua portuguesa..

2. Município do Libolo, Kwanza Sul, Angola: aspectos linguístico-educacionais, histórico-culturais e socioidentitários

Descrição: No dia 05 de julho de 2013, oficializou-se - através de uma viagem de pesquisa à área do Libolo/ Angola - o Projeto "Município do Libolo, Kwanza Sul, Angola", doravante "Projeto do Libolo". O projeto é integrado por uma equipe internacional de 14 investigadores nas áreas da linguística, filologia, história e antropologia, dando continuidade a um projeto de investigação iniciado em 2011 pelo libolense (angolano) Prof. Dr. Carlos Figueiredo. Este projeto, vinculado à Administração Municipal do Libolo e com patrocínio da empresa angolana Global Seguros, transformou Calulo, durante o mês de julho de 2013, em polo angolano de investigação científica. O "Projeto do Libolo" envolve, em sua equipe, 6 investigadores diretamente ligados à Universidade de São Paulo (USP) e à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH - um deles, coordenador do Projeto. Envolve ainda um pesquisador da Universidade de Macau (China) (UMAC), também coordenador do Projeto. Integram ainda o projeto pesquisadores das seguintes Instituições: Fundação Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e da École Centrale d'Életronique de Paris (ECE). O objetivo central dos pesquisadores - com sua atuação nos campos de pesquisa e intervenção científica e social: linguística, história e antropologia - é prestar apoio às autoridades e gentes do Libolo. No campo da pesquisa, abrem-se amplas perspectivas de investigação. Citamos: ampliam-se as investigações acerca do português falado em África, do português brasileiro, das línguas bantas, com ênfase no quimbundo ngoya, que participaram do contato com o português (e outras línguas), novas abordagens históricas, novas abordagens antropológicas, novas abordagens sociológicas, novas abordagens filológicas, desenvolvimento de trabalhos em áreas linguísticas especificas a partir de recolhas de dados de fala do português do Libolo e do quimbundo do Libolo e ainda documentação sociohistórica do município do Libolo..

3. Etimologia da Língua Portuguesa (Projeto DELPo)

Descrição: O grupo de pesquisa, vinculado ao NEHiLP, entende que, diferentemente do que ocorre com a maior parte das línguas europeias (inglês, francês, espanhol e italiano), os dicionários da língua portuguesa são bastante falhos no tocante aos seus dados etimológicos. Confunde-se derivação sufixal e prefixal com etimologia, confunde-se étimo da palavra com sua origem remota, não há cuidado suficiente com étimos de línguas ágrafas e desconhece-se muito da influência árabe, sem falar da abundância de étimos fantasiosos que descaracterizam o estudo etimológico como um trabalho científico. A mídia e a internet contribuem para a divulgação de soluções fantasiosas, sem que os estudos acadêmicos na área de Linguística Histórica e Filologia consigam expor suas conclusões sobre o assunto. Como aconteceu com a Estilística, as pesquisas etimológicas de caráter científico foram muito produtivas até a década de 20 do século XX, quando estiveram no seu auge, no entanto, eventos históricos e ideológicos promoveram o esquecimento de muitas técnicas e resultados. Alicerçados na pesquisa linguística, os estudos etimológicos voltaram sobretudo a partir da década de 90 e hoje há ferramentas importantes para se desenvolver pesquisas de qualidade no nível acadêmico, que possam contribuir para a mudança da visão da sociedade sobre o tema. Nesse sentido, esta pesquisa sobre datação das primeiras ocorrências das palavras portuguesas, apresentada pelo NEHiLP é o primeiro passo para a criação de um novo dicionário etimológico da língua portuguesa.(DELPo)..

4. Projeto de História do Português Paulista (PHPP - Projeto Caipira)

Descrição: Tem por objetivo investigar emparelhadamente a formação da sociedade paulista e de suas variedades linguísticas, tais como testemunhadas no Estado de São Paulo e em sua capital. O termo "caipira" de seu subtítulo toma por antonomásia a sociedade paulista em seu todo..

5. Fontes para a História da Língua Portuguesa: edição de manuscritos dos períodos médio e clássico

Descrição: Os objetivos deste projeto são a edição e o estudo de textos manuscritos em português, durante os períodos médio (sécs. XV e XVI) e clássico (sécs. XVI a XVIII) da História da Língua Portuguesa. Com base em edição conservadora, procede-se ao levantamento e classificação de textos, conforme suas características diplomáticas, descrição dos aspectos codicológicos e paleográficos, e exame de traços que caracterizam o estado de língua da época.

Áreas: 
Filologia e Língua Portuguesa
Linha de Pesquisa: 

1.Filologia 2.História da língua portuguesa 3.Formas de tratamento 4.Manuscritos e português brasileiro